Literatura e Matemática em Inter-relações Possíveis: análises, propostas e divagações

Autores

  • Andreia Dalcin Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Rafael Montoito Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense (campus Pelotas) http://orcid.org/0000-0002-3294-3711

DOI:

https://doi.org/10.37001/ripem.v10i2.2370

Palavras-chave:

Literatura, Matemática

Biografia do Autor

Rafael Montoito, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense (campus Pelotas)

Licenciado em Matemática (Universidade Federal de Pelotas) Mestre em Ciências Sociais Aplicadas; linha de pesquisa em Educação Matemática (Universidade Federal do Rio Grande do Norte) Doutor em Educação para a Ciência (Universidade Estadual Paulista) Pós-doutor pelo Department of English Literature (University of Birmingham, Inglaterra).

Referências

Almeida, M. da C. de. (2006). Um alpendre lilás para a educação. In: Farias, C. A. Alfabetos da alma: histórias da tradição na escola. Porto Alegre: Sulina.

Brito, A. de J., & Oliveira, A. G. (2016). Desfiar e fiar a Aritmética da Boneca Emília: práticas no ensino de Matemática na obra de Monteiro Lobato. Zetetiké, 23(1), 95-132.

Calvino, I. (1990). Seis propostas para o próximo milênio: lições americanas. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

Cury, F. G., & Silva, H. (2016). História, literatura e ficção na Educação Matemática: aproximações com as ideias de Hayden White. Zetetiké, 23(1), 155-178.

Di Marzo, L. (2013). Leer y escribir ficción en la escula: recorridos para escritores en formación. Buenos Aires: Paidós.

Eco, U. O. (1980). Nome da rosa. Rio de Janeiro: Editora Record.

Fux, J. (2016). Matemática e literatura: Jorge Luis Borges, George Perec e o OULIPO. São Paulo: Perspectiva, 2016.

Gomes, M. L. M. (2008). Potencialidades da literatura como fonte para a história da educação matemática: a obra de Pedro Nava. Bolema, 21(30), 89 - 110.

Machado, N. J. (2012). Matemática e educação: alegorias, tecnologias, jogo, poesia. São Paulo: Cortez.

Machado, N. J. (2001). Matemática e língua materna: análise de uma impregnação mútua. São Paulo, Cortez.

Maria, L. de. (2009). O clube do livro: ser leitor – que diferença faz? São Paulo: Globo.

Máquez, G. G. (2014). Cem anos de solidão. Rio de Janeiro: Editora Record.

Morin, E. (2011). Ética e sociedade. In: Pena-Vega, A.; Cleide, R. S.; & Petraglia, I. (Orgs.). Edgar Morin: ética, cultura e educação. São Paulo: Cortez.

Morin, E. (2003). A cabeça bem-feita: repensar a reformar, reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Montoito, R. (2019). Entrelugares: pequeno inventário inventado sobre matemática e literatura. Bolema, 33(64), 892-915.

Montoito, R.; & Rios, D. F. (2019). Manchas de tinta no papel: a literatura como fonte histórica. Zetetiké, 27, 1-18.

Neves, I. C. B.; Souza, J.; Guedes, P.; Schaffer, N.; & Klusener, R. (2011). Ler e escrever: compromisso de todas as áreas. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Nacarato, A. M.; & Lopes, C. E. (Orgs.). (2009). Escritas e leituras e escritas em Educação Matemática. Belo Horizonte: Autêntica.

Odifreddi, P. (2007). Juegos matemáticos ocultos en la literatura. Barcelona: Octaedro, 2007.

Quintana, M. (2013). Caderno H. Rio de Janeiro: Objetiva.

Vergani, T. (2009). A criatividade como destino: transdisciplinaridade, cultura e educação. São Paulo: Editora Livraria da Física.

Publicado

2020-06-11

Como Citar

Dalcin, A., & Montoito, R. (2020). Literatura e Matemática em Inter-relações Possíveis: análises, propostas e divagações. Revista Internacional De Pesquisa Em Educação Matemática, 10(2), 7-13. https://doi.org/10.37001/ripem.v10i2.2370