Art Requiem: um anti-poema dada digital para o ocaso da arte casual

Autores

DOI:

https://doi.org/10.37001/ripem.v10i2.2167

Palavras-chave:

manifestos dada, acaso, poema digital

Resumo

Este anti-resumo diz do anti-poema que aqui se apresenta que ele não tem como propósito convencer ou induzir os leitores a quaisquer teses acerca de possíveis conexões entre literatura, matemática e educação. Este anti-poema sem conteúdo, lógica, enredo ou propósito também não problematiza nada e nem reivindica autoria, originalidade ou cientificidade. Se autor houver que, com certeza, a possa reivindicar, ele não é outro senão o acaso, o imprevisível. Este anti-poema que não contém partes é constituído de duas partes. Na primeira – que antecede mas também se inclui na segunda –, apresenta-se ao leitor este anti-resumo da segunda. Na segunda parte, inspirando-se talvez – pois nunca se pode dizer com certeza – na leitura dos Sete Manifestos Dada de Tristan Tzara, bem como no processo de confecção de uma colcha de retalhos vistos como enxertos remissivos citacionais - à semelhança das colagens de Kurt Schwitters (1887-1948) e Hans Arp (1886-1966) -, o acaso inventa e apresenta um anti-poema pastiche que, por acaso, acabou assumindo a forma de um anti-poema manifestamente dada. Este anti-poema se apresenta terapeuticamente sob a forma de caixas de textos ou imagens espalhadas aleatoriamente ao longo das próximas 13 páginas desta revista digital que, talvez, não por acaso – pois nunca se pode dizer com certeza -, decidiu publicá-lo Ah, desculpem-me! Eu estava quase me esquecendo de dizer. O antipoema que este anti-resumo de duas partes não resume tem também uma terceira parte: um anti-posfácio que sucede mas também se inclui nas outras duas partes que o antecedem. Na terceira parte – agora eu, e não mais o acaso – faço referências e, às vezes, esclarecimentos às citações textuais ou imagéticas contidas nas caixas de textos ou imagens aleatoriamente numeradas para indicar fontes e autorias, satisfazendo, assim, o ego dos que ainda insistem em reivindicá-las ou de obrigar-nos a citá-las, ainda que poetas não citem as suas fontes ou as atribuam, todas, às musas. O acaso então proporciona a vocês, leitores e leitoras, a chance de se envolverem com uma experiência de leitura terapêutica de um texto produzido de um modo bem diferente dos usuais e, sobretudo, muito diferente de um texto regrado e argumentativo característico do mundo acadêmico. Proponho que vocês o leiam aleatoriamente – e, portanto, na ordem segundo a qual vocês decidam percorrer as suas páginas e, cada página, na ordem segundo a qual vocês decidam percorrer as caixas de textos ou imagens - como se cada uma de suas páginas fosse uma página de um site qualquer da internet. Proponho, então, que vocês o leiam como se ele fosse um hipertexto em que as notas funcionam como placas de sinalização – mas nunca de interpretação ou análise – da leitura terapêutico-casual que fiz dos Sete Manifestos Dada de Tristan Tzara. Ao assim procederem, consentindo que as mãos do acaso lhes afetem conduzindo-lhes em suas leituras personalizadas do texto, vocês estarão também realizando, com certeza, outras leituras autoterapêuticas dos Manifestos. Quero finalmente lhes dizer que o acaso me levou a oferecer este anti-poema réquiem a todos os mortos da Primeira Guerra Mundial, bem como, talvez – pois nunca se pode dizer com certeza -, a todos os mortos por virem de outras guerras à vista ou que estão sendo ou serão travadas em planos de invisibilidade, de silêncio, de imperceptibilidade. Ofereço também este anti-poema elegíaco casual a Tristan Tzara e a todos os artistas e escritores que ecoando, de uma outra maneira, os gritos inaudíveis de outros incontáveis artistas-vítimas ou desertores da Primeira Guerra Mundial, decidiram inaugurar em 1916, em Zurique, o Cabaret Voltaire.

Biografia do Autor

Antonio Miguel, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Departamento de Ensino e Práticas Culturais Grupo de Pesquisa PHALA (Educação, Linguagem e Práticas Culturais) Grupo de Pesquisa HIFEM (História, Filosofia e Educação Matemática)

Referências

ANDERSON, Keith. Encarte textual do CD-Áudio Britten War Requiem. Germany: HNH International Ltd., 1996.

ANDRADE, Mário de. Macunaíma, o herói sem nenhum caráter. 2.ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 1985.

ANDRADE, Oswald. Manifesto Antropófago. Revista de Antropofagia, 1928. (http://www.ufrgs.br/cdrom/oandrade/oandrade.pdf).

BODEI, Remo. Língua italiana: uma filosofia inclusive para os não filósofos. In: Barbara Cassin (Coord.); Fernando Santoro & Luisa Buarque (Orgs.). Dicionário dos Intraduzíveis. Volume 1 – Línguas, pp. 161-185. Belo Horizonte: Autêntica, 2018.

BRITTEN, Benjamin. War Requiem. CD-Áudio, 2 discos. Nigel Boddice, Conductor of Chamber Orchestra; Martyn Brabbins, Conductor of BBC Scottish Symphony Orchestra. Germany: HNH International Ltd., 1996.

DIDEROT, Denis; d’ALEMBERT, Jean Le Rond. Enciclopédia, ou Dicionário razoado das ciências, das artes e dos ofícios. Volume 3: Ciências da Natureza. Organização e tradução Pedro Paulo Pimenta, Maria das Graças de Souza. 1a. Edição. São Paulo: Editora Unesp, 2015.

DOSTOIEVSKY, Fiodor. Um jogador: apontamentos de um homem moço. Tradução, posfácio e notas de Boris Schnaiderman; xilogravuras de Axel Leskoschek. São Paulo: Editora 34, 2004.

ÉLUARD, Paul. Oeuvres completes. Volume 1. Paris: Gallimard, 1968.

FEENBERG, Andrew and FREEDMAN, Jim with a foreword by Douglas KELLNER. When poetry ruled the streets: the French May events of 1968. New York: State University of New York Press, Albany, 2001.

ESLAVA, Luis. Joe Sacco’s The Great War: Violence and the Artefactuality of International Legal History, p. 6, s/d. Acessível em: (https://core.ac.uk/download/pdf/46521268.pdf).

GALTON, Francis. Finger Prints: The Classic 1892 Treatise. New York: Dover Publications, 2005.

GARBARINO, Kaitlyn M. L. Kurt Schwitters’ An Anna Blume and the Gendered Politics of Printmaking in Weimar Germany. A Thesis presented to the Faculty of the Graduate School at the University of Missouri-Columbia, 2016.

GARFUNKEL, Jean & PRATINHA. Amazona Vingadora (Avenging Horsewoman). CD-R 1984.

GIL, Gilberto. Ele falava nisso todo dia (He Talked About It Every Day). CD-R Gilberto Gil, 1982.

GIL, Gilberto & DONATO, João. A paz. Gege Edições / Preta Music (EUA & Canada) / © Acre Editora Musical LTDA, 1986.

GRAUNT, John (1662). Natural and Political Observations made upon the Bills of Mortality. Martyn, London. 2nd ed. 1662; 3rd. ed. 1665; 4th ed. 1665; 5th ed. 1676. First edition reprinted in W. Willcox (ed.): Natural and political observations, Baltimore,1939; in J. Inst. Actuaries, 1964,W, 1-61, with a Foreword by B. Benjamin; and in Pioneers of demography. The earliest classics: John Graunt and Gregory King, Gregg Intern. Pub]., 1973. Fifth edition reprinted in C. H. Hull (ed.): The economic writings of Sir William Petty, 1899, Cambridge Univ. Press; reprinted by Kelly, Fairfield, New Jersey, 1986.

HALD, Anders. A History of Probability and Statistics and Their Applications before 1750, p. 94. Hoboken, New Jersey: John Wiley & Sons, Inc., 2003.

HARRIS, J. Rendel. A further note on the Cretans. The Expositor, Seventh series 3, p. 332–337, 1907. Acesso: (https://archive.org/details/expositor190703coxs/page/336/mode/2up).

HARTOG, François. Crer em História. Belo Horizonte (MG): Autêntica Editora, 2017.

HOMERO. Ilíada. Tradução de Christian Werner. São Paulo (SP): Ubu Editora/SESI-SP Editora, 2018, p. 392.

JARMAN, Derek. War Requiem. 92 minutos. Reino Unido: Magnus Opus, 1988.

KASNER, Edward & NEWMAN, James. Matemática e Imaginação. Tradução de Jorge Fortes. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1968.

LA BRUYÈRE, Jean de. Caractères. (http://bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br/services/e-books/Jean%20de%20la%20Bruyere-1.pdf).

LAPLACE, Pierre-Simon. Philosophical Essay on the Probabilities. Paris: MME VX Courcier Imprimeur-Libraire pour les Mathématiques, quai des Augustins, n. 57, 1814.

LEAVITT, David. O homem que sabia demais: Alan Turing e a invenção do computador. Tradução Samuel Dirceu. São Paulo: Novo Conceito Editora, 2007.

MACCHI, Fabiana. Kurt Schwitters, o dadaista que era Merz. Sibila: Revista de poesia e crítica literária, ano 19. Artigo publicado em 27 de abril de 2009. (http://sibila.com.br/poemas/kurt-schwitters-o-dadaista-que-era-merz/2790).

MALLARMÉ, Stéphane. Un coup de dés jamais n'abolira le hasard. Cosmopolis, 1897.

(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/e/e1/Un_coup_de_dés.pdf).

(http://jimhanson.org/documents/Athrowofthedicetypographicallycorrect02-18-09.pdf).

(http://www.revistapunkto.com/2011/01/re-reading-um-lance-de-dados-mallarme_8423.html).

MALTONI, Mariana. Revista dos Livros Quatro cinco um, ano 3, n. 27, outubro de 2019.

MIGUEL, Antonio. Infâncias e Pós-colonialismo. Educação & Sociedade, volume 35, n. 128, jul./set. 2014, pp. 857-879.

MIGUEL, Fernanda & MIGUEL, Antonio. Uma terapia do noturno a partir do War Requiem de DerekmJarman. Aletria, Belo Horizonte, v. 25, n.1, p. 189-207, 2015.

MOORE, Barbara. O tarô das associações: um guia de leitura e interpretação inspirado no Rider-Waite. Arte de Ciro Marchetti. Tradução de Marta Rosas. São Paulo: Pensamento, 2014.

MUSIL, Robert. O homem sem qualidades. Tradução Lya Luft e Carlos Abbenseth. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015.

NAGEL, Ernest. O Significado de probabilidade. In: NEWMAN R. James. El mundo de las matematicas. Volume 3. Traduccion: César Villazón. Barcelona-México D.F.: Ediciones Grijalbo, S. A., 1968, p. 86-101.

NEWMAN R. James. El mundo de las matematicas. Volume 3. Traduccion: César Villazón. Barcelona-México D.F.: Ediciones Grijalbo, S. A., 1968.

NIETSZCHE, F. Beyond Good and Evil: prelude to the philosophy of the future. HORSTMANN, Rolf-Peter & NORMAN, Judith (Ed.). Translated by Judith Norman. New York: Cambridge University Press, 2002.

OLIVEIRA, Leonardo Davino. Na canção popular, presença da Antropofagia? (https://outraspalavras.net/poeticas/na-cancao-popular-presenca-da-antropofagia/), 2014.

PALMER, Tony. Tony Palmer’s 100th Anniversary film about Britten Nocturne. DVD package design: Sharon Smart. Isolde Films & Firefly Entertainment Ltd. 2013.

PANEK, Bernadette. Mallarmé, Magritte, Broodthaers: jogos entre palavra, imagem e objeto. ARS (São Paulo) vol. 4 n. 8, São Paulo, 2006. (http://www.scielo.br/pdf/ars/v4n8/10.pdf).

PAULA, Carlos Francisco. Aritmética Comercial. São Paulo: Companhia Editora Nacional. 1943.

PENHA, Davi Melo. @ Inverno em Saturno: a gravidade que é a poesia (@ Winter on Saturn: the gravity that is poetry). Fortaleza: CeNe Editora, 2018.

POINCARÉ, Henri. El azar. In: NEWMAN R. James. El mundo de las matematicas. Volume 3. Traduccion: César Villazón. Barcelona-México D.F.: Ediciones Grijalbo, S. A., 1968, p. 68-82.

ROOB, Alexander. Alquimia & Misticismo. Tradução Tersa Curvelo. Portugal: Publicações e Artes Gráficas Lda., 2006.

ROVIRA, Bibiana. Tarô egípcio kier: conhecimento iniciático do livro de Thoth: baseado no simbolismo, na mitologia e nas lendas do Egito. Tradução Euclides Luiz Calloni, Cleusa Margô Wosgrau. São Paulo: Pensamento, 2013.

SACCO, Joe. The Great War. July I, 1916. The First Day of the Battle of the Somme; An Illustrated Panorama. New York: W.W. Norton, 2013.

SANTIÁÑEZ, Nil. Wittgenstein’s Ethics and Modern Warfare. Canadá: Wilfrid Laurier University Press, 2018.

SOUZA, Adalberto de Oliveira; SILVA, Ogmar Luciano. O manifesto literário: algumas peculiaridades do manifesto dadá e do manifesto antropófago. In: CELLI – 3o Colóquio de Estudos Linguísticos e Literários, 2007, Maringá. Anais... Maringá, 2009, p. 1-10.

TAYLOR, Sue. Hans Bellmer: the anatomy of anxiety. London: The MIT Press, 2000.

TAYLOR, Sue. Hans Bellmer in The Art Institute of Chicago: The Wandering Libido and the Hysterical Body, 2001. (https://archive.artic.edu/reynolds/essays/taylor.php).

TORRES, Marie-Hélène Catherine. Resenha da tradução de Lance de Dados de Stéphane Mallarmé por Álvaro Faleiros. TradTerm, São Paulo, v. 25, Agosto de 2015, pp. 303-309. (http://www.revistas.usp.br/tradterm/index).

TURING, Alan. ¿Puede pensar uma máquina? In: NEWMAN R. James. El mundo de las matematicas. Volume 6. Traduccion: Miguel Muntaner. Barcelona-México D.F.: Ediciones Grijalbo, S. A., p. 36-60, 1969.

TZARA, Tristan. Sete manifestos Dada. Tradução de José Miranda Justo. Lisboa: Hiena Editora, 1987.

TZARA, Tristan. Seven Dada Manifestos. (http://keever.us/tzaraseven.pdf).

WITTGENSTEIN, L. Culture and value: a selection from the posthumous remains: Ludwig Wittgenstein: edited by Georg Henrik von Wright in collaboration with Heikki Nyman: revised edition of the text by Alois Pichler: translated by Peter Winch. Rev. 2nd ed. with English translation. UK: Blackwell Publishers Ltd, 1998.

WITTGENSTEIN, L. Philosophische Untersuchungen/Philosophical Investigations (PI). Translated by Gertrude E.M. Anscombe, Peter M.S. Hacker, and Joachim Schulte. — Rev. 4th ed./by P.M.S. Hacker and Joachim Schulte.UK: Wiley–Blackwell Publishing Ltd., 2009.

WITTGENSTEIN, L. Tractatus Logico–Philosophicus. Tradução, apresentação e estudo introdutório de Luiz Henrique Lopes dos Santos; [Introdução de Bertrand Russell]. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2010.

Publicado

2020-06-11

Como Citar

Miguel, A. (2020). Art Requiem: um anti-poema dada digital para o ocaso da arte casual. Revista Internacional De Pesquisa Em Educação Matemática, 10(2), 14-57. https://doi.org/10.37001/ripem.v10i2.2167