Sobre a Revista

RIPEM - Revista Internacional de Pesquisa em Educação Matemática é um periódico online publicado pela Sociedade Brasileira de Educação Matemática - SBEM

ISSN 2238-0345

Qualis Capes: B2 (Ensino)

Notícias

"Educação Matemática em Tempos de Crise: reflexões, vivências e investigações sobre o ensino e a aprendizagem na adversidade"

2020-07-02

Revista Internacional de Pesquisa em Educação Matemática (RIPEM)

 

Chamada de Artigos para Dossiê Temático

Educação Matemática em Tempos de Crise: reflexões, vivências e investigações sobre o ensino e a aprendizagem na adversidade.

Editores convidados: Antonio José Lopes (CEM) (Bigode) (editor principal) e Co-editores: Carlos Vianna (UFPR), Jorge Falcão (UFPE), Ole Skovsmose (Unesp-RC), Regina Buriasco (UEL).

O ano de 2020 poderia ser apenas o ano que fecharia a primeira quinta parte do século XXI quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o estado de pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo Coronavírus (Sars-Cov-2). Frente a este novo e ameaçador cenário, professores e professoras de todos os segmentos de ensino, da educação básica ao ensino superior, a partir de março de 2020, se depararam com uma situação não prevista em seus planejamentos. Frente à necessidade de responder aos efeitos da pandemia dentro do seu campo, precisaram se reinventar tendo que aprender e ministrar aulas remotas da noite para o dia, criando e reelaborando materiais instrucionais, pesquisando materiais e ferramentas que pudessem ser utilizados à distância, entre outras atividades, isto além de se protegerem do avanço da pandemia. Nas universidades a situação não foi diferente, e as atividades de docência em modo remoto se somaram à continuidade de trabalhos de pesquisa e formação de professores, agora à distância.

O quadro de transformações abruptas nas atividades de ensino logo trouxe à tona questões e problemas novos de interesse para a pesquisa. Frente ao quadro que se avizinhava e impactava a escola básica,  o comitê editor da prestigiosa revista Educational Studies in Mathematics (ESM), fez uma chamada para um número especial com o tema “Educação Matemática em tempos de crise – uma pandemia viral”. Paralelamente, uma diretoria da SBEM e um grupo de associados da SBEM conversava sobre a possibilidade da publicação de um número especial da RIPEM com temática análoga e que pudesse tratar também de especificidades da educação brasileira e latino-americana como a questão da inclusão e da equidade,  como atestam algumas pesquisas sobre o acesso (ou falta de) às Tecnologias Digitais[1].

Professores têm relatado sobre as condições de trabalho e que o distanciamento social duplicou ou triplicou o trabalho de uns, em contrapartida para outros possibilitou mais tempo para leituras, estudos e reflexão. O fato é que o Coronavírus afetou a todos os educadores de um modo ou de outro. Nos últimos meses vimos professores deixando de lado tópicos dos programas oficiais difíceis de serem ensinados nas condições adversas, enquanto que outros professores/as se sentiram mais livres para imprimir autoria nos programas procurando envolver os alunos e trazendo o tema da Covid-19 para dentro de suas aulas, explorando vários conteúdos matemáticos, por meio de abordagens interdisciplinares, distintas das abordagens fragmentadas tão comuns em práticas tradicionais. Além do tratamento didático surgiram outros temas e problemas que geraram reflexão sobre: avaliação à distância, limitações de um currículo engessado, o tempo de aprendizagem com o distanciamento social, formação dos professores para usar tecnologias digitais, o aprender por si só, ferramentas digitais (que ferramentas ?), videoconferências, o “novo normal”, entre outros. Sendo que a questão da inclusão ocupa um lugar especial considerando as carências do sistema de ensino brasileiro.

Sim, estamos passando por uma crise longe de ser equacionada, mas já existiam outras antes da covid. Neste momento o mundo discute a questão do racismo e no âmbito da escola é essa também é uma questão real. Há várias correntes e grupos de pesquisadores dentro da Educação Matemática que podem fornecer alguma resposta, senão para resolver as crises, ao menos para compreendê-las.

Frente a estes tempos extraordinários propomos que se qualifique a reflexão sobre possíveis soluções para os desafios que temos pela frente. Podemos repensar a educação, a escola, os processos de aprendizagem, o ensino da matemática o ofício de professor e, especificamente, de professor de matemática, e o tipo de sociedade que queremos para nós mesmos, para nossos filhos e para os filhos dos outros, nossos alunos.

A Revista Internacional de Pesquisa em Educação Matemática (RIPEM) convida a toda comunidade de educação matemática brasileira e de outros países, à reflexão sobre o ensino de matemática em tempos de crise. Os autores poderão apresentar pesquisas recém realizadas nos vários aspectos da educação matemática na sua relação involuntária com a Covid-19. Consideramos importante que os educadores(as) matemáticos(as) se posicionem sobre a educação sem perder de vista muitas crises inter-relacionadas que dominam nosso mundo, além da pandemia, como as mudanças climáticas um tema muito sensível para o Brasil, intolerância e violência dentro e fora da escola, racismo e outras formas de preconceito (gênero, classe social, etc.), ascensão de movimentos xenófobos, misóginos, antidemocráticos, etc., bem como, o quadro de desigualdade social nas suas mais variadas expressões. No entanto, esperamos que os artigos abordem a pandemia de Coronavírus em certa medida e, porque sabemos que a pandemia está ocorrendo de maneira diferente em diferentes regiões do Brasil e de outros países, pedimos a cada colaborador que tente situar seu trabalho considerando o contexto local, geográfico, social e cultural.

Nessa edição em particular, devido à urgência da temática, aceitaremos, além de artigos científicos, a submissão de ensaios, estudos empíricos, relatos de experiência, e outras modalidades compatíveis com os critérios de qualidade da RIPEM. A lista de temas para os ensaios é longa, os autores e autoras podem abordar grandes temas e questões gerais relacionadas ao ensino de matemática e a educação em geral, como: inclusão e educação para todos; educação para a paz; educação para a autonomia e  emancipação; educação solidária e cooperativa; compatibilidade ou incompatibilidade de currículos e avaliações engessadas num país continental como o nosso, um projeto de escola do presente e do futuro; o lugar da matemática na sociedade contemporânea; e outros temas mais amplos. Ensaios como esses geralmente incluem argumentos baseados em literatura, observações e experiência no ensino e aprendizagem de matemática, com conexões com outros contextos relevantes.

 

 

Os artigos desta edição especial podem incluir ainda[2]:

  • Análise reflexiva das tendências da pesquisa e como essas tendências se relacionam com (prever e refletir) crises globais.
  • Análise de artefatos matemáticos (estatísticas, modelos, interpretações) que foram compartilhados pela mídia tradicional e social.
  • Reflexão crítica sobre o currículo e como ele prepara ou falha na preparação da sociedade para esta e outras crises globais (ou seja, a política da crise e o papel da educação matemática nessa política).
  • Reflexão sobre o sentido de um currículo único num país de dimensões continentais e a diversidade cultural e social.
  • Reflexão sobre a precarização do trabalho do professor: aspectos agravados pela pandemia, possibilidades de enriquecimento do gênero profissional.
  • E se o isolamento durar todo o ano letivo? Deveríamos manter o mesmo programa? Que critérios deveríamos utilizar para definir o que é inegociável sobre o que as crianças, adolescentes e jovens devem aprender?
  • O que a pandemia traz para nossa reflexão sobre a avaliação e as avaliações de larga escala. Como? Por quê? Para quê?
  • Propostas de mudança na pedagogia da matemática que melhor equipariam a sociedade para esta e outras crises globais.
  • Consideração de diferentes abordagens para o ensino de matemática - talvez incluindo o uso de recursos on-line e / ou o aprendizado de matemática que não seja baseado na escola e o acesso desigual à tecnologia.
  • Análise da disparidade sociocultural e econômica e como isso afeta as mudanças no ensino de matemática nessa crise - incluindo talvez o acesso à educação por meio de canais de comunicação on-line e / ou outros, e um entendimento pluralista da própria crise (por exemplo, através de uma abordagem crítica à crise e suas implicações sociais).
  • Análise reflexiva do ensino de matemática como uma comunidade de pesquisa - a natureza da interação acadêmica e construção da comunidade (com viagens e outras formas de conexão) e o valor dessas trocas para acadêmicos de diferentes regiões e estágios de suas carreiras.
  • Limites e possibilidades do ensino à distância, o lugar das tecnologias, do fascínio à inventividade.
  • A videoconferência, como reconhecer suas limitações e aproveitar suas potencialidades.
  • O tempo na escola presencial e no ensino remoto, as tarefas. Que tarefas nesse suposto “novo normal”?
  • Relatos de experiência sobre: ensino remoto, avaliação à distância, novos conteúdos e abordagens, projetos especiais, atividades inter e transdisciplinares.

 

Os editores deste número especial da RIPEM estão abertos a outros temas além desses, incluindo uma ampla possibilidade de estudos empíricos relevantes.

Esperamos que este número especial seja tão amplo e diverso quanto possível, contemplando reflexões e experiências de autores de todas as regiões do país e trazendo à luz suas especificidades. Também, esperamos que os artigos representem um amplo leque de experiências, contemplando estudiosos seniores e novos acadêmicos, bem como, professores do chão da sala de aula que podem discutir e sistematizar suas experiências, inclusive recebendo – se desejar - sugestões de pesquisadores experientes. Se você conhece alguém que gostaria de contribuir para esta edição especial, encaminhe esta chamada a eles.

 Oferecemos para quem necessitar oportunidades de interlocução e revisão com comentários de outros colaboradores dessa edição especial (a primeira rodada de revisão), portanto, não tenha receio de correr riscos. Após a primeira revisão, seu artigo será submetido à revisão completa da RIPEM.

As submissões devem seguir normas apresentadas na página de submissões de artigos completos nos moldes definidos pelas “diretrizes para os autores” da RIPEM, inclusive utilizando o template disponível na página:

http://sbem.iuri0094.hospedagemdesites.ws/revista/index.php/ripem/about/submissions

            Se você tiver dúvidas sobre este convite ou se quiser enviar suas ideias iniciais para feedback, envie um e-mail para um ou todos os editores convidados. Incentivamos os autores a se comunicarem conosco a qualquer momento deste processo.

Cronograma:

31/08/2020

Data final para submissão dos trabalhos completos pelo site da Revista

30/09/2020

Envio do feedback e comentários dos avaliadores aos autores cujos artigos têm grandes chances de serem aceitos

20/10/2020

Fim da avaliação oficial e envio das cartas de aceite ou recusa e feedback para os autores

30/11/2020

Entrega pelos autores da versão final dos artigos aceitos

 

 Atenciosamente,

Maurício Rosa

Editor da RIPEM

 

 

 

[1] Pesquisa divulgada em 2019 aponta que 58% dos domicílios no Brasil não têm acesso a computadores e 33% não dispõem de internet. Fonte: Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br). Estudo mais recente aponta que 70 milhões de brasileiros têm acesso precário a internet durante a pandemia. Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/05/cerca-de-70-milhoes-no-brasil-tem-acesso-precario-a-internet-na-pandemia.shtml.

[2]       Estas sugestões incluem alguns itens da chamada para a edição temática da Educational Studies in Mathematics “Mathematics education in a time of crisis – a viral pandemic”, que entendemos válidos também para o cenário brasileiro.

 

Saiba mais sobre "Educação Matemática em Tempos de Crise: reflexões, vivências e investigações sobre o ensino e a aprendizagem na adversidade"

Edição Atual

v. 10 n. 2 (2020): Literatura e Matemática: inter-relações possíveis
Ver Todas as Edições

A Revista Internacional de Pesquisa em Educação Matemática é um periódico publicado pela Sociedade Brasileira de Educação Matemática. Fundada em 27 de janeiro de 1988, a SBEM é uma sociedade civil, de caráter científico e cultural, sem fins lucrativos e sem qualquer vínculo político, partidário ou religioso. Tem como finalidade congregar profissionais da área de Educação Matemática e de áreas afins. A SBEM tem em seus quadros pesquisadores, professores e alunos que atuam nos diferentes níveis do sistema educacional brasileiro, da educação básica à educação superior. Ela possui também sócios institucionais e sócios de outros países.

Nessa perspectiva, a RIPEM é uma  revista destinada a divulgar artigos científicos que retratem a pesquisa em Educação Matemática, a qual toma por alicerces a aprendizagem e o ensino de matemática, assim como, questões relativas à formação de professores que ensinam matemática.

Com intuito de discutir questões importantes à Educação Matemática como região de inquérito, a revista divulga por meio de sua plataforma artigos científicos avaliados pelo Comitê Editorial Nacional da SBEM, pelo seu conselho consultivo ou por avalaidores ad hoc. Ela presa pela cientificidade, inovação e articulação de saberes concernentes a sua área fim.