AS VANTAGENS DO MODELO DE VAN HIELE NO ENSINO DE GEOMETRIA

Autores

  • LILIANA KARLA JORGE DE MOURA IFMT-CAMPUS CÁCERES PROFESSOR OLEGÁRIO BALDO
  • Andre Krindges Universidade Federal de Mato Grosso-UFMT
  • Gladys Denise Wielewski Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT

DOI:

https://doi.org/10.37001/EMR-RS.v.2n.21.2020.p.56-65

Palavras-chave:

Pensamento geométrico. Geometria. Van Hiele. Sequência didática.

Resumo

Neste artigo, apresenta-se parte do resultado de uma pesquisa de doutorado sobre a visualização dinâmica no ensino de geometria que teve o objetivo de investigar se e como a visualização geométrica com dinâmica mental é importante para a compreensão de conceitos geométricos. A pesquisa embasou-se no desenvolvimento do pensamento geométrico fundamentado no modelo de van Hiele. Para atingir o objetivo proposto elaborou-se uma sequência didática com 21 atividades, visando aplicá-la a estudantes do 2º ano do curso Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio. Apresentou-se a proposta aos estudantes e 15 deles, livremente, sem escolha prévia da pesquisadora, decidiram participar da pesquisa. Foram analisadas pesquisas que comprovaram a eficácia desse modelo, o que vem ao encontro dos achados do presente estudo, concluindo-se que o método de van Hiele enriquece a aprendizagem dos alunos na geometria.

Biografia do Autor

LILIANA KARLA JORGE DE MOURA, IFMT-CAMPUS CÁCERES PROFESSOR OLEGÁRIO BALDO

DOUTORA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIA E MATEMÁTICA-UFMT. MESTRE EM MATEMÁTICA - UFMT. LICENCIADA EM MATEMÁTICA - UFMT. PROFESSORA DE MATEMÁTICA DO IFMT- CAMPUS CÁCERES PROF. OLEGÁRIO BALDO

Andre Krindges, Universidade Federal de Mato Grosso-UFMT

Professor do programa de pós graduação em Matemática PROFMAT; Professor do departamento de Matemática

Gladys Denise Wielewski, Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT

Professora e coordenadora regional do programa de Pós graduação Doutorado em Educação em Ciências e Matemática - REAMEC; Professora do programa de Pós Graduação Mestrado em Educação; Professora do departamento de matemática.

Referências

ALMOULOUD, S.; MANRIQUE, A. L.; SILVA, M. J. F. da; CAMPOS, T. M. M. A geometria no ensino fundamental: reflexões sobre uma experiência de formação envolvendo professores e estudantes. Revista Brasileira de Educação. n. 27, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n27/n27a06.pdf. Acesso em: 01 de abril de 2016.
BARBOSA, C. P. O pensamento geométrico em movimento: um estudo com professores que lecionam matemática nos anos iniciais do ensino fundamental de uma escola pública de Ouro Preto (MG). 2011. 187p. Dissertação de Mestrado em Educação Matemática, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2011.

BRAGA, E. R.; DORNELES, B. V. Análise do desenvolvimento do pensamento geométrico no ensino fundamental. In: Revista eletrônica PUC/SP. Educ. Matem. Pesq., São Paulo, v. 13, n. 2, pp. 273-289, 2011.

DIAS, M. do A. Experiências matemáticas no geoplano. Mini-curso. VI Congresso Internacional de Ensino da Matemática. ULBRA. Canoas, 2013.

GUIMARÃES, B. A. A.; SANTOS, W. L. S. A problemática no ensino da geometria. Maiêutica – Curso de Matemática. UNIASSELVI – Prática do Módulo IV, 2013.

LORENZATO, S. Por que não ensinar geometria? In: A Educação Matemática em Revista, Ano III, n. 4, 1º semestre, Blumenau, SBEM, 1995.

NASSER, L. O desenvolvimento do raciocínio em geometria. In: Boletin GEPEM/UFRJ, n. 27, p. 93-99, Rio de Janeiro, 1990.

NASSER, L. Níveis de van Hiele: Uma explicação definitiva para as dificuldades em geometria? In: Boletin GEPEM/UFRJ, n. 29, p. 31-35, Rio de Janeiro, 1991.

NASSER, L.; TINOCO. Curso Básico de Geometria: Enfoque Didático. Módulo I. Formação de Conceitos Geométricos. Rio de Janeiro: Ed. IM/UFRJ, Projeto Fundão, 2011.

NUNES, C. B. O processo Ensino-Aprendizagem-Avaliação de Geometria através da Resolução de Problema: perspectivas didático-matemáticas na formação inicial de professores de matemática. 430p. Tese de Doutorado. Programa em Educação Matemática. Universidade Estadual Paulista – UNESP, Rio Claro – SP, 2010.

PAVANELLO, R. M. A geometria nas séries iniciais do ensino fundamental: contribuições da pesquisa para o trabalho escolar. In: PAVANELLO, R. M., org. Matemática nas séries iniciais do Ensino Fundamental: a pesquisa e a sala de aula. São Paulo: Sociedade Brasileira de Educação Matemática (SBEM), 2004. p. 129-143.

PEREDA, L. M. J.; IPARRAGUIRRE, R. C. G. Caracterizaciones de los paralelogramos para ele primer grado de secundaria según el modelo de van Hiele. In: Revista eletrônica PUC/SP. Ver. Prod. Educ. Matem., São Paulo, v. 6, n. 1, pp. 15-26, 2017.

PERETTI, L.; COSTA, G. M. T. da; Sequência didática na matemática. In: Revista de Educação do Ideau. Vol. 8 – n. 17, ISSN: 18096220, janeiro-junho, 2013 – Semestral.

ROJAS, A. T. M., Una propuesta didáctica para la ensenanza de los cuadriláteros basada em el modelo van Hiele. 170p. Tese de Doutorado. Pontíficia Universidad Católica del Perú, Escuela de Graduados, Lima, Perú, 2013.

SILVA, L.; CANDIDO, C. C. Modelo de aprendizagem de geometria do casal Van Hiele. Relatório de Iniciação científica. São Paulo: Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo, 2007.

VAN HIELE, P. M. V. Structure and Insigth: A Theory of Mathematics Education. Orlando, Flórida: Academic Press, INC, 1986.

VERONESE, P. C. de F. O ensino de geometria no ciclo II do ensino fundamental: Um estudo analítico. 261p. Dissertação de Mestrado. Programa de pós-graduação em Ensino da Educação Brasileira da Faculdade de Filosofia e Ciência, UNESP/ Marília – SP, 2009.

Publicado

2020-11-09

Como Citar

DE MOURA, L. K. J., Krindges, A., & Wielewski, G. D. (2020). AS VANTAGENS DO MODELO DE VAN HIELE NO ENSINO DE GEOMETRIA. Educação Matemática Em Revista - RS, 2(21). https://doi.org/10.37001/EMR-RS.v.2n.21.2020.p.56-65