APRENDIZAGEM DOCENTE DE FUTUROS PROFESSORES DE MATEMÁTICA POR RELATÓRIOS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.37001/EMR-RS.v.2n.21.2020.p.170-181

Palavras-chave:

Estágio Supervisionado, Aprendizagens da Docência, Futuro Professor de Matemática.

Resumo

Nesse estudo temos por objetivo identificar os indícios de aprendizagens da docência de futuros professores de matemática a partir da experiência vivenciada por eles no Estágio Supervisionado III. Para a coleta de dados foram utilizados os relatórios finais de Estágio Supervisionado III desenvolvido no Ensino Médio, por vinte alunos do curso de Licenciatura em Matemática do X, campus Y. Assim, analisamos as narrativas desse grupo de alunos apoiadas no nosso referencial teórico. Esse estudo de natureza qualitativa possibilitou identificar, durante as situações vivenciadas pelos futuros professores de matemática no Estágio Supervisionado III, as aprendizagens acerca da docência que eles obtiveram. Dentre elas ressaltamos as aprendizagens de se assumir como protagonista do seu processo de formação, projetar reflexões sobre sua experiência, lidar com dificuldades e desafios e investigar a própria prática.

Biografia do Autor

Tamiris Moura Neves, Instituto Federal do Espírito Santo

Mestre em Educação em Ciências e Matemática (Educimat/2018) pelo Ifes. Graduada em Licenciatura em Matemática pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (Ifes/2015). Bolsista da CAPES durante dois semestres no qual acompanhou aulas do curso magistrale de Matemática na Univesità di Pisa / Dipartimento di Matematica (Itália). Tem experiência como Professora Pesquisadora na Coordenadora Geral de Pesquisa e Extensão (CGPE) do Ifes/Cefor. Atualmente é professora do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes).

Thiarla Xavier Dal-Cin Zanon, Ifes/Cachoeiro de Itapemirim

Doutora em Educação pela UFES na linha de Educação e Linguagens, sublinha de Educação e Linguagem: Matemática (Educação Matemática), 2019. Mestre em Educação pela UFES na linha de Educação e Linguagens, sublinha de Educação e Linguagem: Matemática (Educação Matemática), 2011. Possui graduação em Licenciatura Plena em Matemática pelo Centro Universitário São Camilo Espírito Santo (2005) e graduação em Licenciatura em Pedagogia pela Universidade de Uberaba/MG (2010). Especialista em Matemática pela FIJ - Faculdades Integradas de Jacarepaguá, Rio de Janeiro/RJ, em Educação Infantil pela UCB - Universidade Castelo Branco, Rio de Janeiro/RJ e em Gestão Escolar Integradora pelo Instituto Brasileiro de Educação - IBE. É professora do Curso Superior de Licenciatura em Matemática do Instituto Federal do Espírito Santo - IFES, Campus Cachoeiro de Itapemirim/ES. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação, Educação Matemática, Gestão Educacional e em Matemática.

Referências

“A história de fracasso da escola formal nos mostra claramente que o professor que insistir em transmitir apenas a Matemática universal e formal às crianças e jovens que frequentam a escola pública, o máximo que conseguirá é o engajamento de uma pequena minoria de seus estudantes. Para conquistar os outros estudantes, precisaria, na verdade, buscar e mobilizar outros modos de promover a relação do aprendiz com o saber matemático. Um desses modos consiste em valorizar, ao mesmo tempo, o movimento histórico de produção das culturas matemáticas e a subjetividade do aprendiz, isto é, seu modo de estabelecer relação e de aprender e reinventar o mundo, a matemática e a si mesmo em interação com os outros” (FIORENTINI, 2009, p. 3).


“[...] ao desafiar suas próprias suposições; ao identificar questão importantes da prática; ao propor problemas; ao estudar seus próprios estudantes, salas de aulas e escolas; ao construir e reconstruir o currículo; e ao assumir papéis de liderança e de protagonismo na busca da transformação da prática de sala de aula e, por decorrência, da práticas escolares e sócias” (GAMA e FIORENTINI, 2009, p. 444)

FIORENTINI, D. Educação Matemática: diálogos entre Universidade e Escola. Disponível em: <http://www.projetos.unijui.edu.br/matematica/cd_egem/fscommand/CO/CO1.pdf>. Acesso em 23 de fev. 2019.

GAMA, R. P. & Fiorentini, D. (s.d.). Formação continuada em grupos colaborativos: professores de matemática iniciantes e as aprendizagens da prática profissional. Revisa da PUC. São Paulo, v.11, n.2, p. 441-461. 2009.

GINZBURG, C. Sinais: raízes de um paradigma indiciário. In: GINZBURG, C. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. 2ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.p.143-180.

Aprendizagem docente de futuros professores de matemática por relatórios de estágio supervisionado.
PRADO, G. do. V T., CUNHA, R. C. O. B., FERREIRA, C. R. Narrativas docentes e saberes cotidianos no espaço escolar. In: SÜSSEKIND, M. L., GRACIA, A. (Orgs.), Universidade-Escola: Diálogo e formação de Professores. Rio de Janeiro: Faperj. 2011. p. 135-154.

PIMENTE, S. G., LIMA, M. S. L. Estágio e Docência. 7ª ed. São Paulo: Cortez. 2012.

REIS, G. R.F. da S. Memórias de estágio: uma experiência de formação. In: SÜSSEKIND, M. L., GRACIA, A. (Orgs.), Universidade-Escola: Diálogo e formação de Professores. Rio de Janeiro: Faperj. 2011. p. 99-112.

SOUZA, E. C. de. Vim aqui para ficar com os ‘comigos’ de mim. In: SÜSSEKIND, M. L., GRACIA, A. (Orgs.), Universidade-Escola: Diálogo e formação de Professores. Rio de Janeiro: Faperj. 2011. p. 79-98.

SÜSSEKIND, M. L . O estágio como entre lugar nos relatórios de formação. In: SÜSSEKIND, M. L., GRACIA, A. (Orgs.), Universidade-Escola: Diálogo e formação de Professores. Rio de Janeiro: Faperj. 2011. p. 19-36.

TEIXEIRA, B .R., CYRINO, M. C. de C. O estágio supervisionado em cursos de licenciatura em Matemática: um panorama de pesquisas brasileiras. Revisa da PUC. São Paulo, v.15, n.1, p.29-49. 2013.

ZABALZA, M. A. O estágio e as práticas em contextos profissionais na formação universitária. 1ª ed. São Paulo: Cortez. 2014.

Publicado

2020-11-09

Como Citar

Neves, T. M., & Zanon, T. X. D.-C. (2020). APRENDIZAGEM DOCENTE DE FUTUROS PROFESSORES DE MATEMÁTICA POR RELATÓRIOS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Educação Matemática Em Revista - RS, 2(21). https://doi.org/10.37001/EMR-RS.v.2n.21.2020.p.170-181